Estudantes nacionais e internacionais no acesso ao ensino superior


CIPES


EDULOG/ENI/2020

O objetivo central deste projeto é tentar esclarecer se a massificação do ensino superior é sinónimo de eliminação de desigualdades e a importância do recrutamento ativo de estudantes internacionais por parte das instituições de ensino superior.

Coordenação Científica

Carla Sá

Cristina Sin


jan 2020

19 meses

9 investigadores


Sumário

O objetivo central deste projeto é o estudo do acesso e sucesso dos estudantes no ensino superior português e inclui, no essencial, duas componentes:

  1. Perceber até que ponto a massificação é sinónimo de eliminação de desigualdades. A origem socioecónomica dos estudantes, o percurso escolar no ensino secundário, o género e a origem geográfica são exemplos de fatores potencialmente geradores de desigualdades nos percursos de formação dos estudantes nacionais que serão explorados.

  2. Perceber como o recrutamento de estudantes internacionais tem influenciado a composição do corpo discente e desenvolver estudos sobre as razões, estratégias e abordagens institucionais para atrair estudantes estrangeiros. Além disso, analisar a sustentabilidade do sistema tendo em conta a origem dos estudantes recrutados.


equipa de investigação


estado de desenvolvimento

Recolha e sistematização de dados

Análise de dados qualitativos

Análise de dados quantitativos

Evolução do Projeto


sobre o projeto

Título do Projeto

Estudantes nacionais e internacionais no acesso ao ensino superior

Identificação dos proponentes

Carla Sá
Cristina Sin


CIPES

O Centro de Investigação de Políticas do Ensino Superior é uma unidade de investigação criada em 1998 e é um dos principais centros a nível internacional dedicados à investigação do ensino superior. Colabora regularmente com os principais parceiros neste sector, tais como o MCTES (Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior), CRUP (Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas), CCISP (Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos), A3ES (Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior). Tem desenvolvido projetos de investigação financiados por várias entidades.
http://www.cipes.pt/

Sumário do Projeto

Nas últimas décadas do século XX assistiu-se a uma assinalável expansão do acesso ao ensino superior português, que resultou na sua massificação. A recente estagnação do número de estudantes aumentou a competição entre instituições do ensino superior e entre estudantes, que passaram a ter mais preocupação com a escolha dos cursos e instituições que querem frequentar. Os estudantes que chegam hoje às universidades e institutos politécnicos são em maior número e de proveniência mais heterogénea do que outrora. No entanto, o ensino superior, anteriormente visto como forma de assegurar a mobilidade social, pode estar a reproduzir ou mesmo agravar desigualdades.

As previsões de uma evolução desfavorável do número de jovens em condições de aceder ao ensino superior levaram a que o recrutamento de estudantes estrangeiros tenha assumido destaque na agenda das instituições de ensino superior nos últimos anos. Mudanças sociais e económicas, por um lado, e iniciativas políticas, por outro, favoreceram esta nova prioridade: a diminuição do financiamento estatal; o declínio das matrículas e projeções demográficas desfavoráveis; a priorização do recrutamento pela recente estratégia para a internacionalização do ensino superior português; e a possibilidade, suscitada por legislação recente (Estatuto do Estudante Internacional de 2014), de as instituições públicas cobrarem propinas mais elevadas a estudantes internacionais que se inscrevem numa licenciatura ou num mestrado integrado.

O objetivo central deste projeto inclui, no essencial, duas componentes:

  1. Perceber até que ponto a massificação é sinónimo de eliminação de desigualdades. A origem socioecónomica dos estudantes, o percurso escolar no ensino secundário, o género e a origem geográfica são exemplos de fatores potencialmente geradores de desigualdades nos percursos de formação dos estudantes nacionais que serão explorados.

  2. Perceber como o recrutamento de estudantes internacionais tem influenciado a composição do corpo discente e desenvolver estudos sobre as razões, estratégias e abordagens institucionais para atrair estudantes estrangeiros. Além disso, analisar a sustentabilidade do sistema tendo em conta a origem dos estudantes recrutados.